Ferroviária 3 (2) x (4) 1 XV de Piracicaba - Nos pênaltis, XV é campeão da Copa Paulista

A Ferroviária conseguiu reverter a derrota por 2 a 0 na ida e levou o jogo para os pênaltis, mas o goleiro do XV brilhou e pegou duas

por Agência Futebol Interior

Araraquara, SP, 26 (AFI) – Ferroviária e XV de Piracicaba fizeram um jogo digno de final neste sábado na Arena da Fonte Luminosa, que terminou em vitória e título da Copa Paulista para o Nhô Quim. Após chegar a ficar com três gols em desvantagem, o XV diminuiu para 3 a 1 e levou o jogo para os pênaltis. Foi aí que o goleiro Matheus Pasinato brilhou e o XV de Piracicaba venceu as cobranças por 4 a 2. Na partida de ida, o XV havia vencido por 2 a 0.

O título é o primeiro de Copa Paulista da história do XV de Piracicaba e renderá ao Alvinegro o direito de disputar a Série D do Campeonato Brasileiro em 2017. Assim, restará para a Ferroviária uma vaga na Copa do Brasil. Agora ambos somam um título, já que a Ferroviária foi a campeã em 2006.

Bruno Lopes fez o segundo gol da Ferroviária aos 7 minutos
Bruno Lopes fez o segundo gol da Ferroviária aos 7 minutos

Para levar o troféu, o XV de Piracicaba precisou derrotar a equipe de melhor campanha da competição. O time de Piracicaba tem a melhor defesa da Copa Paulista e está foi a primeira vez que sofreu mais de um gol no mesmo jogo no torneio.

Mesmo com a chuva, a Ferroviária contou com um bom público em Araraquara, já que aderiu ao projeto Futebol Sustentável, idealizado pela Federação Paulista de Futebol (FPF). Além disso, quase 2 mil torcedores Quinzistas marcaram presença na Arena da Fonte.

Com o título, o técnico do XV de Piracicaba, Cleber Gaúcho, se sagra campeão com o clube em duas funções diferentes. Como jogador, Cleber levantou o caneco da Série C de 1995 pelo Nhô Quim. Já os jogadores Romarinho, Gilsinho, Samuel e Samoel Pizzi conquistaram neste sábado seu segundo título da competição.

PRECISOU DE SÓ 7 MINUTOS
Nem a forte chuva que atingiu a cidade de Araraquara horas antes do início do jogo diminuiu o ritmo da Ferroviária no início do jogo. Mesmo com o gramado da Arena da Fonte Luminosa bastante alagado, a Ferroviária precisou de apenas sete minutos para tirar do placar a desvantagem sofrida no jogo de ida.

Com apenas 2 minutos de jogo, a zaga do XV afastou a bola para a entrada da área e Kelvy, camisa 10 da Ferroviária, bateu de primeira com a pernacanhota. A bola desviou e matou o goleiro Pasinato, indo morrer no fundo das redes. A torcida da Ferrinha se animou com o gol e embalou o time a buscar o segundo. Aos 7 minutos, o artilheiro Bruno Lopes recebeu lançamento dentro da área e bateu de primeira. Matheus Pasinato tentou encaixar e a bola passou debaixo das pernas do goleiro.

Depois do início fulminante do rival, o XV conseguiu aparecer aos 15 minutos. O lateral Samuel levantou para o meio da área. Pizzi cabeceou à esquerda do gol com perigo. Mostrando o porquê de estar na final, o XV levou perigo de novo aos 18 minutos, com uma pancada de Willian Cordeiro. Matheus caiu para espalmar no canto.

O XV até conseguiu equilibrar o jogo, mas não conseguia se impor diante da Ferroviária, que chegou muito perto de fazer o terceiro aos 27 minutos. Cordeiro levantou escanteio na área e Elder Santana cabeceou forte no meio do gol, mas Pasinato espalmou para cima, mandando pela linha de fundo.

Aos 46 minutos, Elder Santana cabeceou novamente para o gol de Pasinato com perigo e o goleiro voltou a fazer uma bela defesa. O gramado teve uma considerável melhora no decorrer do jogo e o primeiro tempo acabou praticamente sem poças visíveis.

DIGNO DE UMA FINAL!
Assim como o 1º tempo, a etapa final começou com bastante emoção e lances de perigo, mas dessa vez para os dois lados. Aos 6 minutos, o XV quase marcou quando Zé Mateus bateu falta fechada, mas Cordeiro afastou antes de a bola chegar em Samuel. A resposta Locomotiva veio logo aos 7, com uma bola no travessão. Elder Santana bagunçou Clayton e soltou a bomba, parando na trave.

O jogo foi repleto de lances de perigo e a bola aérea teve muita culpa nisso
O jogo foi repleto de lances de perigo e a bola aérea teve muita culpa nisso

Com o jogo equilibrado, a Ferroviária fechou os espaços e conseguiu buscar o terceiro gol aos 21 minutos. Willian Cordeiro cobrou falta venenosa e o lateral Zé Mateus desviou de cabeça, matando totalmente as chances de defesa de Mateus Pasinato. A Ferrinha embalou e Mateus Pasinato precisou trabalhar três vezes para evitar o quarto gol.

Mas as emoções estavam longe de acabar e o XV marcou um gol aos 27, voltando a igualar o placar agregado. Romarinho cobrou escanteio e o zagueiro Rodrigo subiu na primeira trave para levar o jogo para os pênaltis. A reta final foi muito tensa, com poucos erros e o resultado de 3 a 1 para a Ferroviária persistiu, levando o jogo para os pênaltis.

SÃO PASINATO
Na primeira cobrança, Willian Cordeiro esperou a definição do goleiro e deslocou para marcar. Rafael Gomes foi para a primeira cobrança do XV e bateu fraquinho, mas o goleiro não alcançou. Kelvy foi para a segunda cobrança e bateu mal. O goleiro Pasinato conseguiu encaixar e fazer a defesa. Na sequência, Romarinho bateu muito bem, acertando a rede lateral e colocou o XV em vantagem.

Bruno Lopes foi para a terceira cobrança da Ferrinha e não deu chances para o goleiro defender. Samuel Pizzi quase perdeu a terceira do XV, mas por muito pouco Matheus não defendeu. A bola bateu na trave e entrou. Héroi, Pasinato caiu no canto direito para pegar mais uma sem dar rebote. Dessa vez João Lucas foi quem perdeu. O zagueiro Rodrigo foi para a última cobrança, deslocou o goleiro e marcou. Com a vitória por 4 a 2 nos pênaltis, o XV se sagrou campeão da Copa Paulista 2016.

CURIOSIDADE
Torcedora do XV desde pequena, a noiva de Clayton, volante e capitão do XV de Piracicaba, assistiu o jogo do salão. Logo após o final da partida, Clayton correu e voltou de helicóptero para Piracicaba para o seu casamento, que está marcado para às 21h45.

Ficha Técnica

Fase
Final
Rodada
2ª rodada
Data
26/11/2016
Horário
18h00
Local
Arena da Fonte Luminosa - Araraquara (SP)
Árbitro
Raphael Claus

Renda
R$ 108.695,00
Assistentes
Emerson Augusto de Carvalho e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo

Público
10.220 presentes
Cartões Amarelos
XV de Piracicaba: Maranhão

Gols
Ferroviária: Kelvy 2' 1T, Bruno Lopes 7' 1T, Zé Mateus 22' 2T (contra)
XV de Piracicaba: Rodrigo Silva 28' 2T
Ferroviária
Matheus;
Willian Cordeiro, Raniele, Patrick e Sávio;
Fábio Souza, Rafael, Fabrício (Felipe Silva) e Kelvy;
Elder Santana (João Lucas) e Bruno Lopes.
Técnico: Picoli
XV de Piracicaba
Matheus Pasinato;
Zé Matheus, Cunha, Rodrigo e Samuel (Pavone);
Maranhão (Bruninho), Clayton, Samoel Pizzi e Barreto (Gilsinho);
Romarinho e Rafael Gomes.
Técnico: Cléber Gaúcho