Polícia da Colômbia já resgatou mais de metade dos corpos em restos de avião

Os socorristas já retiraram ao menos 35 corpos do local da tragédia da delegação da Chapecoense

por Agência Estado

Chapecó, SC - Os socorristas que trabalham nos escombros do acidente com o avião que levava a Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana já retiraram ao menos 44 corpos do local. O número de mortos inicialmente informado foi de 76, mas acredita-se que ele seja menor, uma vez que três pessoas que constam na lista de embarque não entraram no avião e estão no Brasil.

De acordo com a Polícia de Antioquia, o Estado onde fica o Aeroporto Internacional José María Córdov, em Rionegro, nas proximidades de Medellín, são cerca de 150 pessoas envolvidas nas buscas, que começaram já pela madrugada.

As buscas continuam com a esperança de encontrar mais sobreviventes
As buscas continuam com a esperança de encontrar mais sobreviventes

Quando o avião caiu, de acordo com populares ouvidos pelo canal de TV TeleMedellín, chovia muito forte na região. A chuva cessou nas últimas horas, o que facilita o trabalho dos socorristas.

Imagens dos escombros mostram que apenas uma pequena parte da fuselagem do avião, que caiu em um morro íngreme, perto de algumas árvores altas. O restante da aeronave ficou destruída.

Apenas sete pessoas foram resgatadas com vida, sendo que uma delas já faleceu: o goleiro Danilo, herói da classificação à final. Seguem internados o goleiro Follmann, o o lateral-direito Alan Ruschel, o jornalista Rafael Henzel e os tripulantes Ximena Suárez, auxiliar de voo, e Erwin Tumiri, técnico da aeronave. O zagueiro Neto foi o último resgatado, horas depois dos demais, e está internado em estado gravíssimo.