Emprestado pelo Inter, lateral da Chape diz: 'Não sei o que será daqui para frente'

Cláudio Winck não viajou com a delegação por opção do técnico Caio Júnior, ele ressalta que todos estão em choque devido a tragédia

por Agência Futebol Interior

Chapecó, SC, 29 (AFI) – Revelado nas categorias de base do Internacional, o lateral-direito Cláudio Winck foi emprestado a Chapecoense neste ano e, por opção do técnico Caio Júnior não viajou com a delegação para a Colômbia, onde a equipe disputaria nesta quarta, a primeira partida da final da Copa Sul-Americana. Consternado com a tragédia que matou quase todos os integrantes do voo do clube, o jogador ressaltou que a rotina de viagens e comum e que, todos estão muito abalados.

“Temos uma viagem por semana. Ninguém espera que isso aconteça. Todo mundo está em choque. A cidade parou. Eu só estou falando para tentar confortar um pouco as famílias. É muito difícil falar numa hora dessas”, disse o atleta de apenas 22 anos de idade.

Cláudio Winck não viajou para a Colômbia por opção do técnico Caio Júnior (Foto: Divulgação / Chapecoense)
Cláudio Winck não viajou para a Colômbia por opção do técnico Caio Júnior (Foto: Divulgação / Chapecoense)

“A gente estava vivendo um momento fantástico. Era a melhor fase da historia do clube. Não sei o que será daqui para frente. Desejo força a todos os familiares”, completou.

Enfatizando o bom momento que o time vivia em campo, Winck ressaltou que o grupo “era muito unido, todos se davam muito bem. A gente perde amigo de muitos anos”, falou.