CBF acredita em rapidez na liberação dos corpos das vítimas da queda de avião

Ainda nesta terça-feira, um avião com familiares de jornalistas poderia seguir para a Colômbia

por Agência Estado

Chapecó, SC - Walter Feldman, secretário-geral da CBF, acredita na rapidez da liberação dos corpos das vítimas da queda do avião da Chapecoense em Medellín, na Colômbia. O dirigente viajou para Chapecó (SC) na tarde desta terça-feira para prestar solidariedade às famílias catarinenses. Ao todo, 71 pessoas morreram na tragédia.

Walter Feldman acredita na liberação rápida dos corpos
Walter Feldman acredita na liberação rápida dos corpos
"A documentação foi identificada e, além disso, os corpos não foram carbonizados e destruídos, o que facilita a identificação. Tudo isso deve trazer rapidez para a liberação dos corpos", disse Feldman em entrevista coletiva na cidade da região oeste de Santa Catarina.

Ainda nesta terça-feira, um avião com familiares de jornalistas poderia seguir para a Colômbia. O objetivo é que eles acompanhem a identificação no país vizinho. Nenhum avião, no entanto, sairá de Chapecó. "Nenhum avião sairá de Chapecó. Nós tínhamos uma aeronave à disposição, mas uma assembleia decidiu que os familiares vão aguardar os corpos aqui", disse o dirigente da CBF.

Ainda de acordo com o dirigente, um acordo internacional entre os dois países permite que a identificação seja feita no país onde o fato aconteceu, com a presença de legistas brasileiros e colombianos. Aviões da FAB estarão esperando em Manaus, capital do Amazonas, para o transporte dos corpos para o funeral coletivo.

"A sugestão do clube é fazer um velório coletivo, uma homenagem final no próprio estádio dos profissionais ligados à Chapecoense", concluiu Walter Feldman.