Após simulação, Chapecoense já espera por corpos para iniciar velório

O detalhamento dos horários dependerá do momento em que os corpos forem liberados na Colômbia, algo que deve ocorrer na sexta-feira

por Agência Estado

Campinas, SP, 30 - Em parceria com a Polícia Militar, Bombeiros, Governo do Estado e Polícia Rodoviária Federal, a Chapecoense realizou nesta quarta-feira uma simulação de como será feito o transporte dos corpos vindos da Colômbia para a realização do velório das vítimas do acidente aéreo que causou a morte de 20 representantes do clube catarinense.

O detalhamento dos horários dependerá do momento em que os corpos forem liberados na Colômbia, algo que deve ocorrer na sexta-feira, mas ainda não se sabe exatamente se no período da manhã, tarde ou noite. A simulação serviu para definir alguns pontos, como por exemplo, o tempo do trajeto do aeroporto até a Arena Condá, palco da partida.

Processo de retirada dos corpos dos escombros foi trabalhoso.
Processo de retirada dos corpos dos escombros foi trabalhoso.
Os corpos serão colocados em três ou quatro caminhões, dependendo da quantidade de corpos que forem liberados e autorizados pela família para ir para Chapecó. OS familiares do técnico Caio Júnior, por exemplo, inicialmente não pretendiam que seu corpo fosse levado para a cidade catarinense.

As ruas próximas do estádio serão fechadas e a PM pede para que os fãs evitem transitar pelo local por onde a carreata irá passar. Do aeroporto, eles chegarão até a Avenida General Osório, passarão pela Rua Uruguai e depois entrarão na Rua Borges Medeiros, local onde fica a arena. Os caminhões entrarão pelo portão 14.

O tempo do velório também vai depender do horário da chegada dos corpos. A tendência é que se o evento iniciar pela manhã, dure mais horas do que se for à noite. Em seguida, as famílias vão levar os corpos para suas respectivas cidades.