Remo 0 x 0 América-RN - Mangueirão lotado, drama e abraçados no "inferno"!

Leão do Norte não conseguiu a vaga às quartas, enquanto o Mecão amargou a queda à Série D

por Agência Futebol Interior

Belém, PA, 18 (AFI) - Nem mesmo os mais de 33 mil torcedores presentes no Mangueirão foram suficientes para empurrar o Remo rumo à classificação às quartas-de-final do Campeonato Brasileiro da Série C. Em jogo dramático, o Leão do Norte foi vítima do próprio nervosismo e não saiu de um empate sem gols contra o América-RN, na noite deste domingo, em Belém, pela última rodada da primeira fase.

O resultado, que até minutos antes do encerramento do jogo era bom para ambos, foi péssimo ao final do duelo. O ASA arrancou um empate contra o ABC nos minutos finais e ultrapassou o Remo. Enquanto isso, o Confiança venceu o Salgueiro e jogou o tradicional América para a zona de rebaixamento e para a Série D de 2017.

O clube paraense encerrou as atividades em 2016 na quinta colocação do Grupo A, com 25 pontos. Um a menos que o quarto colocado ASA. Em compensação, o Mecão terminou na penúltima colocação da chave, com 20 pontos. Também um a menos que o Salgueiro e dois a menos que Confiança e Cuiabá.

ATRASO E ANSIEDADE
Antes mesmo da partida começar o Remo já teve problemas. As ruas nos arredores do Mangueirão estavam um caos por conta do grande número de torcedores. O ônibus que transportava a delegação remista ficou engarrafado e os jogadores, para não atrasarem, tiveram de ir a pé até o estádio. Por conta disso, o jogo começou com nove minutos de atraso.

Quando a bola rolou, o Remo até tentou assumir as rédeas e tomar a iniciativa do jogo. O problema é que os jogadores azulinos entraram claramente ansiosos pela obrigação de precisar de uma vitória. Isso interferiu diretamente no rendimento do time, atrapalhando sobretudo no último passe para as conclusões.

Com o América bastante acuado no início, a situação só piorou. Jogadores experientes, como o lateral Wellington Saci, o meia Eduardo Ramos e o atacante Edno, não conseguiram ditar o ritmo do jogo remista e também entraram na pilha. Desta forma, o jogo demorou a ter alguma emoção. A primeira chegada do Leão aconteceu apenas aos 17 minutos. Edno soltou uma bomba em cobrança de falta e o goleiro Ricardo se esticou todo para espalmar para escanteio.

EMOÇÃO SÓ NO FIM!
Com dificuldades para penetrar na retranca do Dragão, o time da casa tentou explorar os chutes de longa distância. Como por exemplo aos 25 e aos 34 minutos. Na primeira oportunidade, Wellington Saci arriscou de fora da área e Ricardo fez grande defesa. Na segunda, foi a vez do zagueiro Max chutar de longe e exigir boa defesa do goleiro.

No final da etapa, a partida ficou mais emocionante, principalmente porque o Mecão decidiu sair um pouco mais. Em sua primeira descida com perigo, quase o clube visitante fez. O lateral Levy saiu jogando errado e o meia Jussimar puxou contra-ataque. Ele cortou o marcador, mas finalizou para fora. A resposta veio à altura. Aos 46, o meia Marcinho cobrou escanteio e o volante Michel Schmöller cabeceou no travessão.

DRAMA ATÉ O FIM!
Se o primeiro tempo foi marcado pelo nervosismo remista, o segundo começou ainda mais tenso. Sem conseguir envolver o adversário, o Remo esgotou a paciência da torcida, que passou a protestar contra qualquer erro do time. Ainda mais quando o América quase marcou aos cinco minutos. O meia Thiago Potiguar deu bela enfiada de bola para o atacante Luiz Eduardo, mas Max cortou antes que o jogador conseguisse a finalização.

Mesmo sem apresentar um futebol de qualidade, o Leão teve uma oportunidade de ouro para abrir o placar aos 20 minutos. Eduardo Ramos, contudo, acabou com a paciência dos torcedores. Depois de receber um ótimo passe do meia Flamel, o veterano ficou sozinho dentro da área, mas chutou fraco nas mãos do goleiro Ricardo.

Conforme o tempo passou, o drama da partida só aumentou. Afinal, se os donos da casa brigavam pela última vaga no G4, o Mecão lutava desesperadamente contra o rebaixamento. Foi um verdadeiro teste para cardíaco. Principalmente para o torcedor americano. Isso porque jogadores, como Luiz Eduardo, fizeram cera em campo sem saber que o Confiança ganhava do Salgueiro e rebaixava os potiguares.

No final, quando o empate virou um resultado ruim para ambos, a partida virou uma pelada com vários jogadores amontoados nos campos de ataque e ninguém no meio. Desta forma, surgiram grandes chances para os dois lados. Apesar disso, ninguém balançou as redes. Nem mesmo o Leão, quando o goleiro Fernando Henrique se aventurou ao ataque para tentar um gol de cabeça. Ao final, houve muitas vaias e protestos das arquibancadas e choro do elenco americano.

Ficha Técnica

Fase
1ª Fase
Rodada
18ª rodada
Data
18/09/2016
Horário
19h00
Local
Mangueirão - Belém (PA)
Árbitro
Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)

Renda
R$ 542.866,00
Assistentes
Leandro Matos Feitosa (SP) e Luiz Alberto Andrini Nogueira (SP)

Público
31.906 pagantes (33.446 torcedores)
Cartões Amarelos
Remo-PA: Yuri, Max
América-RN: Lucas Bahia, Jussimar, Danilo, Luiz Eduardo, Ricardo

Remo-PA
Fernando Henrique;
Levy, Ciro Sena, Max e Wellington Saci;
Yuri (Allan Dias), Michel Schmoller (João Victor), Eduardo Ramos e Marcinho;
Fernandinho (Flamel) e Edno.
Técnico: Waldemar Lemos
América-RN
Ricardo;
Danilo Baia (Romário), Lucas Bahia, Maracaz e Danilo;
Magno, Leomir, Richardson (Gustavo) e Jussimar;
Luiz Eduardo (Everton) e Thiago Potiguar.
Técnico: Francisco Diá