Vila Nova-GO 0 x 0 Luverdense - Empate justo contra 'campeão dos empates' na Série B

O resultado foi justo e deixou o time goiano com 37 pontos, em oitavo, contra 35 do time mato-grossense, em 11.º lugar.

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 16 (AFI) – O Vila Nova-GO esperava emplacar a sua terceira vitória seguida no Campeonato Brasileiro da Série B, mas não conseguiu superar o bem armado esquema de marcação do Luverdense e empatou sem gols, nesta noite, dentro do estádio Serra Dourada, pela 25.ª rodada. O resultado foi justo e deixou o time goiano com 37 pontos, em oitavo, contra 35 do time mato-grossense, em 11.º lugar.

O Vila Nova vinha embalado com duas vitórias fora de casa sobre o CRB e o Paraná, ambos por 2 a 1. Por isso mesmo, também levou um bom público ao estádio – perto de 12 mil torcedores. Mas segue em alta, com cinco jogos sem perder. O Luverdense, em recuperação, tinha vencido seu último jogo em casa diante do Brasil, por 1 a 0. É o time que mais empatou – 11 vezes - ao lado do Paysandu.

COMEÇO EQUILIBRADO
Com os dois times priorizando o setor de meio-campo o primeiro tempo foi acirrado na marcação, porém, muito fraco em termos de finalizações. Preocupado com o visitante, o técnico Guilherme Alves escalou o time goiano com dois volantes e dois meias. Mesmo assim o time do Mato Grosso teve maior controle em campo.

O lance polêmico aconteceu aos 43 minutos do primeiro tempo, quando Moisés lançou Fabinho em velocidade. O baixinho entrou na área e tropeçou nos pés do grandalhão Luiz Otávio. O árbitro paulista Leandro Bizzio Marinho anotou pênalti, mas depois consultou o auxiliar Daniel Luis Marques e voltou atrás, marcando impedimento. Curioso é que o bandeirinha não marcou o lance ilegal.

No intervalo houve muita reclamação em cima da arbitragem, bem protegida pela Polícia Militar. Mas o próprio Fabinho, envolvido no lance, não reclamou com veemência.

"Acho que ele deu impedimento, mas o pênalti foi com certeza" - comentou.

AS CHANCES
Aos 10 minutos, Júnior Rocha já tinha perdido o volante Jean Patrick machucado, para a entrada de Moacir. Na volta dos vestiários, o Vila voltou sem o volante Caíque com a entrada do atacante Vandinho. Uma clara disposição de ir ao ataque. O jogo também ficou mais solto e ganhou em emoções.

Aos oito minutos, o zagueiro Luiz Alberto quase abriu o placar ao cabecear perto da trave. Seria do Luverdense, mas a resposta veio a seguir, aos 11 minutos. Victor Bolt cruzou da esquerda, Moisés chutou de virada e Diogo Silva fez grande defesa quase em cima da linha de gol.

O Vila ganhou espaço e apertou o adversário que fez mais duas torças até os 15 minutos. Entraram Douglas Baggio e Diogo Sodré, respectivamente, nos lugares de Rafael Silva e Alfredo. Apesar da pressão, o Vila só conseguia finalizar de longa distância e sem pontaria. O Luverdense preferiu se defender, abrindo mão de atacar. Levou um ponto para casa.

Mesmo com o empate amargo, a torcida do Vila Nova aplaudiu e gritou o nome do time ao final do jogo. Um reconhecimento do esforço dos jogadores que deixaram o gramado visivelmente cansados.

PRÓXIMOS JOGOS
Na abertura da 27.ª rodada, na terça-feira, o Luverdense vai sair diante do Ceará, no Castelão. O Vila Nova só volta a campo no outro sábado, dia 24, às 16h30, de novo em casa contra o Londrina.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
26ª rodada
Data
16/09/2016
Horário
20h30
Local
Serra Dourada - Goiânia (GO)
Árbitro
Leandro Bizzio Marinho (SP)

Renda
R$ 160.825,00
Assistentes
Alberto Poletto Masseira (SP) e Daniel Luis Marques (SP)

Público
11.074 pagantes | 11.897 total
Cartões Amarelos
Luverdense-MT: Moacir, Paulinho

Vila Nova-GO
Saulo;
Magno Silva, Guilherme Teixeira, Reginaldo e Marcelo Cordeiro;
Caíque (Vandinho), Victor Bolt, Fagne (Joãozinho) e Geovane;
Fabinho e Moisés
Técnico: Guilherme Alves
Luverdense-MT
Diogo Silva;
Raul Prata, Éverton, Luiz Otávio e Paulinho;
Jean Patrick (Moacir), Ricardo, Sérgio Mota e Rafael Silva (Douglas Baggio);
Hugo e Alfredo (Diogo Sodré)
Técnico: Júnior Rocha