Bahia 1 x 1 Atlético-MG - Domínio do Galo e arbitragem polêmica!

Com este resultado, o Tricolor continua sem saber o que é vencer pelo Brasileirão

por Agência Futebol Interior

Crédito: Site oficial do Bahia

Salvador, BA, 12 (AFI) – O sinal de alerta já começou a se acender no Bahia, neste domningo. Mesmo jogando em casa, no Estádio Pituaçu, em Salvador, o Tricolor foi completamente dominado e saiu no lucro com o empato contra o Atlético-MG, por 1 a 1, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

A partida foi marcada por uma arbitragem contestável do capixaba Marcos André Gomes da Penha, que assinalou um pênalti para os donos da casa e anulou um gol atleticano de forma polêmica. Os baianos também reclamaram de impedimentos inexistentes em gols feitos pelo volante Fahel e pelo atacante Jóbson.

Com este resultado, a equipe baiana continua sem saber o que é vencer pelo Brasileirão. Seus únicos dois pontos, foram conquistados com empates em casa – o primeiro foi no 2 a 2 contra o Flamengo. Fato que mantém os tricolores na zona de rebaixamento.

Em compensação, o Galo não consegue recuperar os pontos perdidos em casa, na última rodada, quando caiu perante o São Paulo, por 1 a 0. No entanto, o time mineiro continua rondando as primeiras colocações, com sete pontos. Cinco a menos que o líder Tricolor paulista.

O jogo foi em Minas?
As estatísticas mostraram o que foi o primeiro tempo. Mesmo jogando fora de casa, o Atlético-MG foi para o intervalo com quase 55% de posse de bola, contra 45% do Bahia. Além disso, os alvinegros finalizaram 12 vezes, sendo quatro delas a gol, contra apenas uma vez dos tricolores.

Mesmo contando com o apoio de seus torcedores, o time baiano encontrou muitas dificuldades para parar o Galo. Aos 11 minutos, os visitantes tiveram uma grande oportunidade de abrir o placar. O veterano Mancini dominou na área e chutou rasteiro. A bola bateu no poste esquerdo do goleiro Marcelo Lomba, que já estava batido.

Depois de contar com a sorte, Lomba fez duas grandes defesa, aos 16 e aos 18, em finalizações de Mancini e do atacante Magno Alves. Depois disso, apesar de os mineiros continuarem com maior posse de bola, o ritmo do jogo caiu consideravelmente.

A partida só voltou a ter alguma emoção aos 32 minutos, quando o Alvinegro chegou perto de marcar novamente. O volante Toró recebeu na direita da área e cruzou. Magno Alves se antecipou à defesa e cabeceou, mas a bola sai à esquerda do gol.

Arbitragem polêmica
Depois de passar por apuros na primeira etapa, o Bahia voltou com uma nova postura. Mesmo sem grandes modificações, o Tricolor voltou mais bem postado e conseguiu chegar ao gol em um lance polêmico. O árbitro assinalou Marcos André Gomes da Penha assinalou mão de Leonardo Silva na área. Na cobrança do pênalti, o atacante Souza foi frio e não desperdiçou.

Em desvantagem no placar, o Atlético se viu obrigado a ir ao ataque. Aos 12 minutos, Marcelo Lomba voltou a salvar o Tricolor. Magno Alves chutou cruzado no canto esquerdo, mas o goleiro fez grande defesa. Aos 19, o Galo chegou perto de novo, porém, o atacante Neto Berola mandou por cima do gol.

A pressão atleticana finalmente surtiu efeito aos 31 minutos. O meia-atacante Daniel Carvalho descolou um cruzamento preciso para a área e Neto Berola desviou de cabeça, no canto direito de Lomba.

No final, aos 40, o Galo chegou a marcar com Dudu Cearense, mas o gol foi anulado devido a um impedimento polêmico. Aos 46 e aos 48, Mancini e Leandro desperdiçaram outras grandes chances para os visitantes.

Próximos Jogos
No próximo sábado, às 18h30, o Bahia volta a campo para enfrentar o Fluminense, no Engenhão, no Rio de Janeiro. Enquanto isso, o Atlético-MG joga contra o xará goiano, no domingo, às 18h30, na Arena do Jacaré, em Setel Lagoas.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
4ª rodada
Data
12/06/2011
Horário
16h00
Local
Estádio Pituaçu, em - Salvador-BA (BA)
Árbitro
Marcos André Gomes da Penha-ES

Renda
R$ 450.000,00
Assistentes
Fabiano da Silva Ramires-ES e Thiago Gomes Brigido-CE

Público
18.889 pagantes
Bahia-BA
Marcelo Lomba;
Jancarlos, Thiego (Paulo Miranda), Titi e Ávine;
Fahel, Diones (Camacho), Ricardinho e Lulinha;
Jobson e Souza (Jones).
Técnico: Renê Simões
Atlético-MG
Renan Ribeiro;
Rafael Cruz, Réver, Leonardo Silva e Leandro;
Richarlyson (Dudu Cearense), Serginho, Toró (Neto Berola) e Giovanni Augusto (Daniel Carvalho);
Mancini e Magno Alves.
Técnico: Dorival Júnior