Goleiro Jefferson será operado de novo e vai completar 1 ano sem jogar

O prazo de recuperação dessa intervenção é de pelo menos seis meses, o que o tiraria de todo o Campeonato Carioca do ano que vem

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 23 (AFI) - Afastado dos gramados desde maio, o goleiro Jefferson deverá completar um ano sem jogar. Nesta quarta-feira, o botafoguense anunciou que vai precisar passar por uma nova cirurgia no braço esquerdo. O prazo de recuperação dessa intervenção é de pelo menos seis meses, o que o tiraria de todo o Campeonato Carioca do ano que vem, por exemplo.

Ao comunicar à imprensa sobre a nova operação, a ser realizada na quinta-feira, Jefferson estava ao lado do médico Luiz Fernando Medeiros, coordenador médico do Botafogo e responsável pela primeira cirurgia. Era uma tentativa de minimizar o mal-estar causado pela decisão.

"Fizemos a cirurgia com o departamento médico do Botafogo e nos foi passado o prazo entre três e quatro meses para voltar a jogar. Fizemos todo o cronograma. Voltei a treinar, cheguei a treinar, mas quando fui precisar realmente de um esforço a mais, com defesas mais difíceis, não consegui fazer", contou Jefferson.

Jefferson está há quase um ano sem jogar. (Foto: Divulgação)
Jefferson está há quase um ano sem jogar. (Foto: Divulgação)
Ele explicou que pediu ao Botafogo autorização para buscar uma segunda opinião médica, de um especialista de ombro e cotovelo. Ao se consultar com outro médico, decidiu seguir outro tratamento.

"O dr. Márcio constatou que a lesão estava permanente no local. A esperança é que ela pudesse se regenerar com o tempo. Demos um passo para trás, paramos de fazer os exercícios. Fiquei duas semanas parado. Melhorou um pouco, mas quando voltei não consegui fazer o meu trabalho. Em acordo com o Botafogo, o médico constatou a necessidade de uma segunda cirurgia", disse Jefferson, deixando claro que o clube concordou com a nova intervenção.

No Botafogo, Jefferson tem sido substituído por Sidão, que se destacou na campanha do Audax no Paulistão e foi contratado. Machucado, ele não teve chances com o técnico Tite na seleção brasileira. Até a lesão, havia feito um jogo como titular e três como reserva nas Eliminatórias da Copa.