Série C: Carrasco do Botafogo-PB foi rejeitado pelo time paraibano antes de ir para o Boa

Autor do gol do acesso boveta e da eliminação alvinegra, Genesis foi oferecido ao Belo no decorrer da terceira divisão nacional

por Agência Futebol Interior

João Pessoa, PB, 13 (AFI) - O Botafogo-PB perdeu a chance do acesso à Série B após ser eliminado nas quartas de final da Série C do Brasileiro ao sofrer uma derrota por 1 a 0 para o Boa Esporte, com um gol marcado aos 50 minutos. Mas o drama não para por aí. O atacante Genesis, autor do gol, poderia ter disputado a partida com a camisa do Belo, se a diretoria não o tivesse rejeitado após uma oferta de seu empresário.

Antes de ir para o Boa, Genesis disputou a Série D pelo Altos-PI e acabou eliminado nas oitavas da final. Então, passou a procurar um time novo. Nesse período, foi oferecido ao Botafogo-PB, mas o departamento de futebol não se interessou e ele acertou com o Boa Esporte.

Em entrevista ao programa Jogada RPN, o diretor executivo de Futebol Giovane Martineli explicou que a decisão foi tomada em conjunto com a comissão técnica e todos preferiram a contratação de Rafael Oliveira, velho conhecido da torcida. Com problemas físicos, o contratado sequer chegou a reestrear.

Renegado pelo Botafogo-PB, Genesis eliminou o Belo na Série C. (Foto: Reprodução / Esporte Interativo)
Renegado pelo Botafogo-PB, Genesis eliminou o Belo na Série C. (Foto: Reprodução / Esporte Interativo)

“O Gênesis ofereceram para a gente no mesmo momento que foi oferecido o Rafael Oliveira. Era um atleta que se destacou no Althos-PI e outro que foi artilheiro e ídolo da torcida. Optamos pelo segundo. Tentamos trazer o Fabinho, que está no Vila Nova-GO, mas ele não quis sair. Tentamos o Rodolfo, que foi para o Boa Esporte. O Eliandro (Guarani), o Samúdio (Boa), nós também procuramos”, disse.

LIGAÇÃO COM FOGÃO
Outro jogador do Boa que tem uma ligação com o Botafogo é Daniel Cruz. Ele foi contratado pelo Belo no início da temporada e foi pouco aproveitado, jogando apenas duas partidas pelo Copa do Nordeste. Na Série C, disputou 19 partidas pelo time mineiro, fez cinco gols e faturou o acesso.

“Tivemos no começo do ano o Daniel Cruz. Ninguém gostava dele, foi titular pelo Boa e conseguiu o acesso. O Pingo a mesma situação, foi para o Confiança e fez um bom jogo contra a gente. O Carlinhos tem um potencial muito grande, é um jogador que tem qualidade, foi observado por dois anos pelo Coritiba. O Danielzinho jogou um pouco abaixo, mas ele é ídolo do São Caetano, do São Bernardo, jogou Champions League pelo Chipre. Infelizmente não teve o rendimento que a gente esperava”, afirmou.

O ataque foi o setor mais criticado pela torcida do Belo. Os artilheiros do clube no ano foram Warley e Muller, com nove gols cada. Na Série C, Rodrigo Silva foi quem mais balançou as redes, com seis gols. Carlinhos, que disputou 15 jogos, muitos deles como titular, fez apenas três gols.