Atualmente no Olímpia, do Paraguai, primo de Messi pode reforçar o Avaí

Com passagens por Flamengo, e pela dupla Ba-Vi, argentino Maxi Biancucchi é analisado pela diretoria do clube

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 12 (AFI) - Com 32 anos de idade, Maxi Biancucchi pode estar retornando ao futebol brasileiro e, muito possivelmente, desembarque na Ressacada. O Avaí procura reforços que possam vir a agregar qualidade e experiência ao grupo que, este ano irá disputar novamente a elite do Campeonato Brasileiro. Tendo anunciado apenas cinco contratações até o momento, o clube atua de forma tímida no mercado e, vê no argentino a possibilidade de mudar este cenário.

Um fato que pode facilitar a transação é que, o jogador negocia sua rescisão contratual com o Olímpia, do Paraguai. Entretanto, a diretoria analisa a questão financeira, pois, a intenção é não fazer nenhuma loucura. Apesar de ter despontado para o futebol no San Lorenzo, tradicional clube de seu país natal, o atleta viveu grande parte de sua carreira no Paraguai.

Maxi Biancucchi pode pintar no Avaí para temporada 2017
Maxi Biancucchi pode pintar no Avaí para temporada 2017
Outro ponto que pode aproximar jogador e clube é o empresário Eduardo Uran, agente que atualmente cuida da carreira de Maxi, pois, ele tem bom relacionamento com a direção do Avaí. Em 2017, o jogador chegou ao Flamengo badalado, não pelo seu futebol, mas devido a ser parente de Lionel Messi, craque do Barcelona - Biancucchi é primo do camisa 10 mais famoso do mundo.

EM SALVADOR
Ainda no Brasil, o jogador viveu experiências na capital baiana, tendo atuado pelos rivais Bahia e Vitória. Em 2013 viveu bons momentos com a camisa do Leão, o que levou o Tricolor de Aço a 'roubar' o atleta de seu arquirrival, porém, o atacante não conseguiu repetir as boas atuações atuando na Fonte Nova.