Falido, Atlético Sorocaba recusa proposta de grupo de empresários

O grupo empresarial que queria assumir o Atlético Sorocaba para disputar a Segundona do Paulista em 2017, teve sua proposta recusada

por Rivail Oliveira

Sorocaba, SP, 21 (AFI) - O grupo de empresários de Sorocaba que queria assumir o futebol do Atlético Sorocaba para a temporada 2017 teve sua proposta recusada pelo clube. O grupo pretendia recolocar o Atlético Sorocaba no futebol e na Série B (quarta divisão), depois do pedido de licença à FPF.

O empreendedor “Kedão” Marzukevics Faria afirma que a negociação durou cerca de três meses
O empreendedor “Kedão” Marzukevics Faria afirma que a negociação durou cerca de três meses
Segundo informou ao FI, o empreendedor “Kedão” Marzukevics Faria, representante do grupo empresarial, a posição do clube foi informada pelo diretor José Rodrigues, que repassou a decisão do presidente coreano Dong Mo Shin. Lembrando que o Galo havia sido rebaixado na Série A2 do Paulista neste ano de 2016 e desistiu da Terceira Divisão Estadual, alegando problemas financeiros, segundo decisão do presidente coreano Dong Mo Shin. Com isso o Galo oficialmente foi rebaixado para a quarta divisão (Serie B).

Conforme Kedão Farias, foram quase três meses de negociação sem frutos com a direção do clube. “Dissemos a eles que esgotamos todas nossas possibilidades. Tínhamos conosco um grupo de empresários que não poderiam ficar esperando, até porque estávamos negociando com ele. É uma pena. É um clube de tradição (mais de 20 anos), de uma cidade grande como Sorocaba que não merecia isso. Sorocaba fica órfã de um dos seus clubes, e todos vão sentir isso”, comentou.

Segundo Kedão Farias, tudo estava pronto por parte do grupo empresarial para colocar o Atlético na Série B em 2017 e buscar ainda no ano que vem um acesso para a Série A3.

“O nosso projeto (de comandar o futebol do Atlético em 2017) era bom, tinha pessoas capacitadas; já tínhamos o sinal verde com os recursos para a Série B (cerca de R$ 100 mil mensais), para resgatar o futebol. Mas estamos muito tristes e chateados, pois cidades menores que Sorocaba estão voltando com seu futebol profissional e Sorocaba, com mais de 700 mil habitantes e um potencial enorme no comercio e indústria, está nesta situação (do Atlético)”, finalizou.