Robinho reclama de fornecedora e admite reduzir salário para seguir no Atlético-MG

O atleta foi contratado no início do ano após um período de baixa na China, com a camisa do Guangzhou Evergrande

por Agência Estado

Belo Horizonte, MG - Em menos de um ano, Robinho parece já se sentir em casa no Atlético-MG. O atacante é um dos principais destaques do clube em 2016, mesmo já aos 32 anos, e por isso não esconde o desejo de permanecer em Belo Horizonte. Para isso, o experiente jogador admitiu até a possibilidade de reduzir o salário no ano que vem.

"Pode ser também. A gente conversaria. Não tem problema, a gente chega a um acordo. Sendo bom para as duas partes, para mim e para o Galo, vamos embora", declarou o jogador em entrevista transmitida pela TV Bandeirantes nesta segunda-feira.

Robinho foi contratado no início do ano após um período de baixa na China, com a camisa do Guangzhou Evergrande. Para possibilitar o acerto, estabeleceu um salário fixo com previsão de bônus por metas, sendo que boa parte deste valor seria pago pela fornecedora de material esportivo do Atlético-MG, a Dryworld. Segundo o jogador, com o clube está tudo certo, mas não com a empresa.

Robinho afirmou querer seguir no Santos
Robinho afirmou querer seguir no Santos
"Da parte do Galo nunca teve atraso do meu salário. Infelizmente, a Dryworld não cumpriu com o que estava combinado. Mas isso já foi acertado com o Atlético-MG. Não é isso que vai me impedir de jogar, se a Dryworld me paga ou não", afirmou.

A felicidade no Atlético-MG é tamanha que Robinho até desmentiu um possível retorno ao Santos, onde foi formado e se destacou nas três passagens que teve por lá. "Sobre o meu retorno ao Santos, não tem nada. O que tem é que eles procuram minha advogada e meu pai para acertar um acordo daquilo que me deviam."

Com a carreira se aproximando do fim, o atacante demonstrou o desejo de encerrá-la com as cores do time mineiro. "Por mim, podemos renovar por mais uns dez anos. Está bom", brincou.