Palmeiras, Corinthians e São Paulo sofrem com estrelas sem brilho

Lucas Barrios, Cristian e Michel Bastos chegaram aos clubes cercado de muita expectativa, mas vive momento de ostracismo

por Agência Estado

São Paulo, SP, 22 - Palmeiras, Corinthians e São Paulo chegam ao fim da temporada em momentos bem distintos, mas com uma semelhança negativa. O trio de ferro do futebol paulista conta com jogadores renomados, experientes, que recebem salários elevados, mas que não estão sendo aproveitados ou jogam pouco em seus clubes. São os casos de Lucas Barrios, Cristian e Michel Bastos.

O trio chegou aos clubes cercado de muita expectativa, mas vive momento de ostracismo. Dos três, Michel Bastos foi quem teve melhor fase, tanto que chegou a renovar contrato com o São Paulo. Mas se tornou descartável não só para o técnico Ricardo Gomes como para a diretoria tricolor, que pretende utilizá-lo como moeda de troca.

Michel Bastos chegou ao São Paulo em agosto de 2014, com salário na casa dos R$ 200 mil mensais. Em maio de 2015, vivendo um bom momento pelo time tricolor, renovou o vínculo até 31 de dezembro de 2017 e passou a receber cerca de R$ 400 mil mensais, se tornando um dos salários mais elevados da equipe.

O palmeirense Lucas Barrios também teve alguns poucos momentos em que ganhou espaço na equipe alviverde, mas sucessivas lesões evitaram que ele tivesse sequência. Hoje, o técnico Cuca tem escalado o time com Gabriel Jesus como centroavante e quando resolve mudar, a primeira opção é Alecsandro.

Cristian ainda não rendeu o esperado no Corinthians.
Cristian ainda não rendeu o esperado no Corinthians.
Com 31 anos, o paraguaio recebe R$ 420 mil mensais, mas tanto seu salário como os valores de sua contratação são pagos pela Crefisa, patrocinadora do Palmeiras. O jogador chegou ao Palmeiras em junho de 2015 e tem contrato até 2018.

Cristian, que tem atualmente 33 anos, voltou ao Corinthians em dezembro de 2014, após cinco anos defendendo o Fenerbahce, com a expectativa de que conseguisse repetir as boas atuações de sua primeira passagem pelo clube, quando conquistou a Série B em 2008, o Paulista e a Copa do Brasil em 2009.

Mas o que se viu foi um jogador passando muito mais tempo no departamento médico e no banco de reservas do que em campo. Também com salário de R$ 420 mil mensais, o volante tem contrato até o fim de 2017. Na partida contra o Internacional, Cristian chegou a ser titular e pode, finalmente, ter uma sequência, mas restando apenas dois jogos na temporada.

Outro fato que os deixam em situações parecidas é que os três ainda não são presenças certas no ano que vem em seus clubes. A situação que tende a ser mais clara é a de Michel Bastos. A diretoria do São Paulo já admitiu publicamente que o jogador deve ser negociado e pode ser usado como moeda de troca. O clube do Morumbi, inclusive, abriu negociações com o Santos para fazer uma troca.

Barrios tem propostas de clubes do exterior e o fato de ser pago pela patrocinadora do Palmeiras pode facilitar sua saída, já que a Crefisa estuda a possibilidade de investir em outro atleta para reforçar o elenco visando a disputa da Copa Libertadores do ano que vem.

Quanto a Cristian, a diretoria corintiana já tentou negociá-lo com outros clubes, mas o salário afasta interessados. Ele está em uma lista de jogadores que podem deixar a equipe caso surjam boas ofertas.