Segundona: A procura de parceria, Votoraty vai conversar com prefeito

Dirigente do clube, Valter Lopes explica sem contar com o apoio da prefeitura será difícil dar sequência no trabalho

por Rivail Oliveira

Votorantim, SP, 14 (AFI) - O Votoraty quer disputar em 2017 a Segunda Divisão do Campeonato Paulista, a conhecida 'Bezinha'. E, para isso, vai conversar com o prefeito de Votorantim, Fernando de Oliveira Souza, na semana que vem, depois da correria da Copinha. O clube grená está preocupado pois está no limite da confirmação de sua presença no Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

“O congresso técnico da Bezinha será entre 30 e 31 de janeiro e tudo vai depender dessa conversa com o Fernando (prefeito) para termos essa definição, se vamos jogar neste ano ou adiar esse planejamento. Mas continuamos o trabalho em busca de patrocinadores e investidores para nos ajudarem financeiramente, mês a mês”, explicou Valter Lopes, do comando do Votoraty Futebol Clube.

Votoraty procura parceria para disputar a Segundona Paulista
Votoraty procura parceria para disputar a Segundona Paulista

Segundo Lopes, se o clube não tiver essa resposta da prefeitura, ficará difícil dar uma sequência ao trabalho, “Sem a parceria com o poder público ficará difícil pois hoje não temos investidores (ordem de R$ 100 mil por mês), para realizarmos esse trabalho, com um pouco mais de tranquilidade”, informou.

Pauta de negociação O representante do Votoraty disse que a pauta de negociação com a prefeitura para uma parceria para a disputa da Série B Paulista não consta cessão de repasse financeiro direto por parte da Prefeitura de Votorantim.

“Estamos pedindo para a Prefeitura que nos atenda com transporte para jogos e treinos, alojamento e alimentação. A proposta tem ainda a contratação de alguns profissionais que trabalhem no Votoraty e nas escolinhas da Prefeitura e para o esporte da cidade”, diz Lopes.

Segundo o dirigente esses itens reduziriam o valor que o clube teria de gastar . Segundo ele, embora não possa ajudar com recursos diretos, ela tem outros meios de ajudar. Segundo o dirigente grená com esse respaldo da Prefeitura, o clube ficaria com os encargos de pagamento da folha de salários dos atletas e dos profissionais (comissão técnica).

Estádio: Domênico ou CIC?
O Votoraty tem hoje outro grande problema. Mesmo que consiga se inscrever e jogar a Segunda Divisão de 2017, o fará em qual local? Hoje o Domênico Paolo Metidieri tem capacidade para receber 1500 pessoas e o clube grená,com apoio da Prefeitura precisa deixá-lo em condições de receber 5 mil pessoas pelo menos. Segundo Valter Lopes, caso isso não seja possível, um “plano B” já estaria em estudo.

“Já temos uma conversa com o presidente da Federação Paulista para mandarmos jogos no CIC (em Sorocaba). Mas para isso, temos de seguir todos trâmites corretos para não dar problema para ninguém e tornar essa situação viável”, destacou Lopes.

E se não jogar a Bezinha?
Questionado, Valter Lopes disse que caso não haja um acordo com a Prefeitura, o clube não deve jogar a Série B e fará uma estruturação mais lenta visando 2018. Mas mesmo assim, mesmo com a base,não poderá jogar partidas oficiais da base pela FPF porque o profissional não estará em ação.

“Por isso que queremos continuar esse projeto pois temos esse bom grupo do sub-15 e um sub-17 montado. Além disso temos a população de Votorantim que gosta muito do time e é um trunfo nosso para podermos voltar e jogar a Bezinha”, disse. Lopes disse que o clube tem tido contato mas nada fechado, com alguns investidores mas a data apertada é hoje a principal problema pois terá que definir proximamente se vai jogar ou não a temporada 2017.

Outra cidade, última opção
Por fim, o dirigente do Tigre foi questionado sobre o assedio de outras cidades, que querem um clube para o profissional mas não tem vaga na Federação.

“Sim, fomos sondados por outras cidade que querem um time no profissional. Hoje temos a vaga para jogar a Federação e uma cidade para filiar um clube tem que pagar um valor muito alto (R$ cerca de 800 mil, fora encargos). Mas essa seria uma última opção. Queremos esgotar todas as possibilidades e pretendemos continuar em Votorantim e não sair daqui e dar sequencia a esse trabalho e até porque o torcedor gosta muito do Votoraty. No entanto, não descartamos, porque o futebol é dinâmico. Mas o pensamento é ficar aqui e entendemos que vale a pena insistir neste projeto”, destacou.

Copa Brasil sub-15
Valter Lopes explicou que em relação à Copa Brasil sub-15, o Votoraty fez uma parceria com a Prefeitura de Votorantim para representar a cidade no torneio.

“Tivemos pouco tempo para esse trabalho, realizamos algumas avaliações na cidade e captamos 20 atletas com garotos de Votorantim, Sorocaba e algumas posições que não tínhamos trouxemos de fora, cerca de cinco valores de São Paulo, Tatuí, Sertãozinho, mas 80% são meninos de Votorantim e região.