Fernando Diniz avalia ano e afirma: "Jogo contra o Náutico foi o mais importante"

Mas como nem tudo são flores, o segundo semestre reservou momentos de tristeza e angústia

por Agência Futebol Interior

Osasco, SP, 01 - “Tinha muita coisa em jogo ali. Um descenso nesse momento seria algo muito trágico. Era uma responsabilidade muito grande e a gente soube superar esse desafio. Então certamente foi o jogo mais importante da minha carreira”. Foi assim que Fernando Diniz resumiu a partida que livrou o Oeste do rebaixamento no último sábado para fechar o ano de 2016.

Um ano com momentos distintos e emoções à flor da pele. No comando da equipe, o treinador começou o seu trabalho de forma brilhante e chegou à final do Campeonato Paulista com um futebol encantador, conquistando o posto de vice-campeão com o Audax.

Mas como nem tudo são flores, o segundo semestre reservou momentos de tristeza e angústia. Depois de ver a equipe osasquense chegar ao topo, em uma parceria com o Oeste, Fernando Diniz aceitou a missão de comandar o clube de Itápolis na Série B do Campeonato Brasileiro e precisou brigar contra o rebaixamento até a rodada final.

“Foi um ano de muitas emoções. No primeiro semestre com um certo glamour e no segundo com muito sofrimento. A gente acabou pegando essa parceria com o Oeste no meio do caminho e demoramos para ajustar o time. Depois os resultados acabaram não vindo, mas fechamos com chave de ouro, porque foi um jogo histórico contra o Náutico, muito importante para a história do clube, colocando o Audax como parceiro. Os jogadores estão de parabéns porque souberam decidir com grandeza e foi muito merecida a permanência.”

Apesar de avaliar o jogo de sábado como o mais importante de sua carreira, o técnico - que completou seu terceiro ano à frente do time na Série A-1 - também relembra bons momentos que viveu no primeiro semestre. Alguns jogos foram os mais marcantes neste ano especial: Osasco Audax 2 a 1 Palmeiras, por ser a primeira vitória contra um time grande no Estádio do Rochdale; Corinthians 2 a 2 Osasco Audax, com direito a classificação para a final na casa adversária em cobrança de pênaltis; e a final com vitória do Santos pelo placar mínimo, onde o time de Osasco foi aplaudido e reconhecido por todos como melhor em campo.

Na Série B, Diniz também ressaltou a importância da partida contra o Brasil de Pelotas, válida pela 36ª rodada, no Estádio Bento Freitas, com gol de empate marcado por Marcus Vinicius aos 52 minutos do segundo tempo, o último do jogo.

“Esse gol no final teve a cara do time de não desistir jamais. E aquele ponto se você computar foi o que nos salvou do rebaixamento.” Com propostas para deixar o clube no meio do ano, Fernando Diniz optou por ficar mesmo sabendo das dificuldades que encontraria, mais uma vez enfatizando sua relação de amizade, respeito e compromisso com o investidor Mário Teixeira. No final, o treinador pode também deixar sua marca e comemorou a permanência na Série B no final da partida contra o Náutico como um verdadeiro campeão.

“Acho que foi um momento de extravasar por todo aquele sofrimento que tivemos na Série B, que foi muito grande principalmente nos últimos dois meses. E aquele foi um momento de extravasamento em que você não pensa e as coisas acontecem tudo do coração. Eu sou muito feliz por me permitir esses momentos.”

Fernando Diniz chegou ao Osasco Audax em 2013, quando conseguiu conquistar o acesso para a elite do futebol paulista pela primeira vez na história e foi o responsável por comandar o time nas três grandes campanhas após a ascensão.